25 agosto 2017

Sobre a agressão á professora

Achar graça de uma professora de 52 anos que foi esmurrada no rosto e na boca ao ponto de ser arremessada na parede porque, em outro contexto, ela havia expressado aprovação à garota que jogou um ovo em Bolsonaro, na minha interpretação, mostra um grau de insensibilidade e de brutalidade assustador destes comentaristas de redes sociais. 

Até concordaria que seria uma ironia se a professora tivesse levado uma ovada do aluno, por exemplo. Aprovou ovada, tomou ovada. 

Mas comparar uma ovada a um murro é mais do que um comentário infeliz. 

Até porque, pelo que vemos, muitos desses comentaristas tendem a desaprovar a ovada em Bolsonaro e aprovar o murro na professora, seja de forma explícita, seja de forma velada. 

Por isso, esses comentários são reveladores da brutalidade que tem substituído a política. Lamento muito ver gente opinando, curtindo e concordando com isso. 

Para mim, isso é um sinal muito mais evidente de ódio mal disfarçado contra adversários do que a declaração da professora. 

Sem contar a possibilidade sempre presente de misoginia e ódio aos professores. 

A noção de que ela "colheu o que plantou" legitima uma escalada desproporcional de violência que é muito perigosa. E que, infelizmente, como vemos por aqui, tem aprovação de muita gente esquisita.